SECRETARIA DE CULTURA DIVULGA RESULTADO DO 7º EDITAL FUNCULTURA AUDIOVISUAL | BomJardimPE.com

0

Seleção contou com 370 propostas inscritas, das quais 119 foram aprovadas para receberincentivo público. Os projetos resultarão em filmes, programas de TV, festivais, cursos e pesquisas.


Novos filmes, de curta e de longa-metragem, produtos para televisão, festivais, mostras, cineclubes, pesquisas, cursos e oficinas irão receber o incentivo público do Governo de Pernambuco, por meio do 7º edital do Programa de Fomento à Produção Audiovisual de Pernambuco – Funcultura Independente 2013/2014. Do total de 370 propostas inscritas, 119 foram selecionadas pelo Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura, que destina anualmente R$ 11,5 milhões para o setor audiovisual. O resultado está disponível no portal Cultura.PE - http://www.cultura.pe.gov.br/

Foram selecionados quatro projetos de pesquisa, dez de formação, 15 de difusão, 17 de curta-metragem (sendo 5 Ary Severo), 15 de produtos para TV, 25 de longa-metragem (sendo 6 para distribuição, 3 para finalização, 7 para produção e 8 para desenvolvimento de roteiro), 21 de cineclubes e 12 na categoria Revelando Pernambucos, destinada a projetos por Região de Desenvolvimento (RDs) do Estado, dos quais 6 são de curta-metragem e 6 de difusão. Veja a lista dos projetos aprovados em anexo.

“O cinema pernambucano está hoje espalhado pelos festivais e salas de cinema do mundo inteiro, em parte, por este edital que todos os anos lança no mercado produções de muita qualidade e diversidade. O Governo do Estado, através da Secretaria de Cultura, vem se empenhando para garantir as conquistas do segmento. Neste momento de anúncio de novos vencedores do edital, estamos ainda comemorando a aprovação da Lei do Audiovisual, que chega para impulsionar o audiovisual e criar bases para a transformação de Pernambuco num polo cinematográfico sem precedentes no Brasil”, comemora Marcelo Canuto, secretário de Cultura do estado.

SELEÇÃO - Os projetos aprovados passaram por três fases durante a seleção: análise documental, julgamento do mérito cultural e defesa oral. Dos 370 inscritos, 320 foram habilitados para o julgamento do mérito cultural, dos quais 148 foram selecionados para a fase final de apresentação oral das suas propostas. Apenas as categorias de Incentivo ao Cineclubismo e Revelando Pernambucos não são submetidas à defesa oral.

Os projetos foram julgados por grupos de especialistas com notório saber, indicados por entidades da classe audiovisual e pelo governo e aprovados pela Comissão Deliberativa do Funcultura. Participaram da indicação de pareceristas: a Associação Brasileira de Documentaristas/Associação de Produtores e Cineastas de Pernambuco (ABD/APECI), a Federação Pernambucana dos Cineclubes (FEPEC), a Associação de Produtores e Cineastas do Norte e Nordeste (APCNN), a Associação Brasileira de Cinema de Animação (ABCA), a Comissão Setorial do Audiovisual, além da própria Secult-PE e Fundarpe. Confira a lista dos especialistas responsáveis pelo julgamento em anexo.

“O processo de seleção de longas-metragens foi bastante prazeroso. Acompanhamos a produção audiovisual de Pernambuco há muito tempo, por isso não tivemos surpresa. Na verdade, confirmamos a qualidade dos projetos. Deparamo-nos com uma diversidade de propostas de cinema, o que demonstra que a força da produção de Pernambuco. Alguns projetos são muito maduros, tem uma urgência de nascer. É importante destacar que as propostas não contempladas apenas estavam menos amadurecidas, mas são projetos bons, que naturalmente devem ser selecionados nas próximas edições”, detalha Rodrigo Oliveira (ES), cineasta e crítico de cinema, integrante da Revista Cinética.

O produtor cultural Itamar Borges (GO) também fez uma avaliação positiva sobre a qualidade dos projetos. Borges é membro da Associação Brasileira de Documentaristas e Curtas Metragistas (ABD) e participou da seleção nas categorias Revelando Pernambucos e cineclubes. “Os projetos são consistentes, tanto os do Sertão do Pajeú, quanto os do Agreste e da Zona da Mata. Esperamos que o Revelando Pernambucos seja um ponto de ebulição da produção do estado. Já a categoria cineclubes é uma paixão, porque é o começo de tudo, fomenta o público para ver filmes. Os projetos são maravilhosos, com linhas curatoriais interessantes”, conta Borges.

Já o grupo de especialistas em curta-metragem, formado por Analúcia Godoi (SP), Frederico Benevides (RJ) e Henrique Dantas (BA), destacou que a seleção “teve como norte a conexão das propostas com o fazer cinematográfico na sua diversidade de referências, assim como o domínio demonstrado pelos proponentes com seus universos a explorar. Entre os dois critérios, procuramos imaginar os filmes que estão em potência, descritos. Por tratar-se de um edital de curta-metragem, também foi levado em conta projetos que comportassem a existência do risco e da experimentação”.

Para garantir a transparência no processo de seleção, os proponentes de projetos não-aprovados poderão solicitar a súmula de julgamento com as médias das notas e resumo do(s) motivo(s) da não-aprovação, enviando e-mail à Coordenadoria do Audiovisual da Secult-PE: cinema.secult.pe@gmail.com. De acordo com o regulamento, as solicitações deverão ser feitas até 90 dias após a publicação do resultado do edital no Diário Oficial, e as respostas serão dadas num prazo de até 20 dias do pedido. Os e-mails devem informar no assunto “solicitação de súmula” acrescido do nome do projeto. A disponibilização das súmulas iniciou em 2010, atendendo à reivindicação do setor. A iniciativa contribui para a melhoria das propostas em outros certames e transparência do processo de julgamento.

LEGISLAÇÃO – Recentemente, o Governo de Pernambuco sancionou a Lei Nº 15.307, de 04 de junho de 2014, que disciplina a promoção, o fomento e o incentivo ao audiovisual no âmbito do Estado de Pernambuco e cria o Conselho Consultivo do Audiovisual de Pernambuco. A legislação representa mais um avanço na política do audiovisual implantada pelo Governo de Pernambuco desde 2007 a partir do diálogo com a sociedade civil. A lei foi aprovada pela Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) e sancionada pelo governador João Lyra Neto.

CRESCIMENTO - O 1º Edital do Audiovisual, lançado em 2007, destinou o valor total de R$ 2.100.000,00 (dois milhões e cem mil reais), distribuídos entre 29 projetos. Em 2008, o edital destinou R$ 4 milhões para 47 projetos. Em 2009, foram R$ 6 milhões para 61 projetos. Em 2010, o edital R$ 8 milhões para 82 projetos. Em 2011, o edital alcançou o valor de R$ 11,5 milhões, distribuídos entre 103 projetos. Em 2012, o valor foi mantido, beneficiando 112 projetos.


Fonte: Secretaria de Cultura de Pernambuco
Crédito da Foto: Costa Neto/Secult

Postar um comentário

 
Top