A ausência e a abstenção nas contas rejeitadas de Aglailson | BomJardimPE.com

0

Durante a sessão ordinária que julgou o Parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE) que recomendava a Câmara da Vitória de Santo Antão a rejeição das contas de 2006 do ex prefeito José Aglailson, dois votos ajudaram a evitar que o ex gestor não obtivesse os 2/3 do apoio dos membros da Casa e se livrasse da condenação. A primeira contribuição foi a ausência do vereador Antonio Gabriel do Nascimento – o Toninho (PR) e logo adiante a abstenção do vereador Edimar José Gomes – o Edinho (PMN).
Toninho é do partido do deputado Henrique Queiroz (PR) e decidiu não comparecer a sessão de julgamento das contas de Aglailson. Segundo lideranças ligadas ao PR e a Prefeitura de Vitória, Toninho foi neutralizado para diminuir as chances de uma maioria absoluta na Câmara Municipal.
Já a decisão do vereador Edinho de se abster, segundo especulação, deve-se a uma articulação do Deputado Aglailson Júnior (PSB) que procurou o deputado estadual pelo qual Edinho é ligado, pedindo a sua interferência na votação desta quinta-feira (10/10). Para evitar um confronto de interesses local e regional, Edinho decidiu não tomar partido entre o parecer do TCE e a salvação de Aglailson.
Determinado em manter uma postura de lealdade e não se deixar envolver-se em outras especulações, Edinho resistiu até o fim e não cedeu aos inúmeros pedidos de ambas forças políticas.

Postar um comentário

 
Top